São Paulo 0 x 0 Santos, Morumbi, Campeonato Paulista, 23/02/2014

Ganso no banco. E uma equipe mais combativa do que nos demais jogos deste ano. Quando ele entrou, o Santos chegou mais perto do gol do São Paulo. Não só porque ele entrou. Santos tirou volante e botou atacante. Faltou ao São Paulo aproveitar os momentos em que esteve próximo do gol do Santos e os espaços para contra ataque que o Santos deu no final do jogo. Pelo que se viu, Ganso continuará no banco, o que é uma pena. O melhor seria que ele estivesse sendo mais decisivo.

Destaco ainda o Luís Fabiano, que se não fez gol, brigou muito lá na frente, roubou bolas, se movimentou mais e abriu espaços para o Pabón.

De ruim, inúmeras bobeiras defensivas, do Rogério, Rodrigo Caio e Paulo Miranda, principalmente. Rogério ainda se redimiu na cabeçada do Leandro Damião, mas contra o São Bernardo já tinha saído jogando errado. Precisa de mais atenção nisso, talvez até evitar esse tipo de situação, tocar ou lançar a bola antes que o atacante adversário chegue para o sufoco.

16.337 presentes, com cerca de 1.100 santistas. Público suficiente para lotar uma Vila Belmiro, mas muito pouco para um clássico no Morumbi, ainda que nessa grande pré-temporada que é o Campeonato Paulista.

Súmula completa da partida no facebook do jogosdosaopaulofc.

Grandes fotos das arquibancadas no Fototorcida.

http://fototorcida.com.br/2014/02/23/sao-paulo-x-santos-2/

Quarta-feira, o jogo é em Piracicaba contra o XV.

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

Ponte Preta 1 x 1 São Paulo, Romildo Gomes Ferreira (Mogi Mirim), Copa Sulamericana, 27/11/2013

Pareceu um jogo fora do Brasil. Por causa da restrição na quantidade e da limitação na venda de ingressos, cerca de mil São Paulinos em Mogi Mirim esperando o impossível (a vitória por 3 a 0, ou pelo menos o 3 a 1 que levaria aos penalties), contra a – naquele momento – quase rebaixada Ponte Preta (hoje, já rebaixada), que vai do inferno nos fins de semana ao paraíso nos meios de semana muito rapidamente. E que demostrou nos dois jogos contra o São Paulo muita vibração, tanto do time como da torcida, para que os meios de semana não virem inferno. E vão virar, se der Lanus…

Eu não esperava o impossível, mas esperava ao menos a vitória. De novo a Ponte Preta foi mais efetiva. E nesse segundo jogo, diferentemente do primeiro, praticamente não tivemos chance de gol.

Concordo com o Muricy. Há dois meses, ninguém sonhava com Sulamericana. O “título” era não ser rebaixado. Mas tendo chegado às semifinais, quem não sonhou com esse bicampeonato?

12.161 presentes.

Domingo vamos lá para Itu enfrentar o Coritiba. Último jogo do Rogério?

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

17

18

19

20

São Paulo 1 x 3 Ponte Preta, Morumbi, Copa Sulamericana, 20/11/2013

Pois é. O time que ganhou do Cruzeiro por 2 a 0 no Mineirão perdeu em casa para o time que depende de um milagre para não ser rebaixado. Assim é o futebol.

A Ponte Preta jogou melhor. Estava armada direitinho. E seu contra ataque funcionou. Como foi contra o Velez. O time praticamente rebaixado no Campeonato Brasileiro está muito bem encaixado para enfrentar times melhores do que ele nessa Sulamericana. E com essa derrota, que talvez seja uma das mais importantes vitórias da história da Ponte Preta, a nossa situação na Sulamericana fica muito complicada. Vencer por 3 gols de diferença – ou 2, se for 2 x 4, 3 x 5 etc. – parece fora do normal. Como foi fora do normal a derrota de hoje. Futebol.

53.302 torcedores. Para o jogo 1116 do Rogério com a camisa do São Paulo.

Domingo vamos contra o Botafogo no Morumbi. Futebol…

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Cruzeiro 0 x 2 São Paulo, Mineirão, Campeonato Brasileiro, 10/10/2013

O Cruzeirense está no céu.

Nem bem seu maior rival vence a Libertadores e o Cruzeiro já fatura o Brasileiro, que o Atlético não vê desde 1971. Eu, pelo menos, não imagino Grêmio ou Botafogo tirando essa diferença. Daí a enfrentar o São Paulo já computando os 3 pontos e considerando o tricolor como já rebaixado – o espírito da torcida do Cruzeiro parecia ser esse – ficou demonstrada a diferença.

O São Paulo entrou com aplicação, organização, qualidade, coragem e sorte na medida certa. E a vibração veio bem forte na arquibancada visitante do Mineirão.

Fomos a 33 pontos. 11 jogos faltando. Com mais 5 vitórias, chegaremos a 48 pontos. Uma boa pontuação para afastar o rebaixamento. Afastá-lo será o nosso difícil título nesse ano.

42.664 presentes no Mineirão. E Domingo estaremos no Morumbi, é claro.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15

Santos 3 x 0 São Paulo, Vila Belmiro, Campeonato Brasileiro, 02/10/2013

Como pode o mesmo time que fez uma excelente partida contra o Grêmio no domingo ter um desempenho tão sofrível 3 dias depois?

Como pode um time com um jogador a mais ser dominado o jogo inteiro pelo adversário, num estádio vazio?

Como pode um time ter atacantes que não acertam o gol?

Não tem resposta.

Faltam 13 jogos.

Com menos de 7 vitórias nesses 13 jogos, não será tranquilo.

Alguém falou: nos 3 primeiros jogos, sem Douglas, 3 vitórias. Nos 3 jogos seguintes, com Douglas, 3 derrotas. Será?

Depois de ingresso, neblina, operação comboio, chuva, o “conforto” do setor visitante da Vila e essa surra, foi dose ser um dos 7.788 presentes.

Sábado vamos lá, receber o Vitória de Ney Franco.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16

São Paulo 1 x 0 Ponte Preta, Morumbi, Campeonato Brasileiro, 12/09/2013

18 de junho de 2009. São Paulo 0 x 2 Cruzeiro, para 52.000 torcedores. O último jogo do técnico Tri Campeão Brasileiro 2006, 2007 e 2008 pelo São Paulo. O técnico que, mesmo quando perdia – e perdeu, porque faz parte – tinha a torcida com ele. Até ser rifado pelos lecos da vida. Lecos que hoje são rifados pelos juvenais, na corrida para a presidência do São Paulo. Na mesma semana em que o tal técnico volta ao São Paulo, torcida com ele, como foram naqueles quase 4 vitoriosos anos. Porque dão-se as voltas.

É MURICY!

Faltam 18 jogos, vamos atrás de mais 9 vitórias.

27.548 torcedores. Muito apoio pelo lado tricolor. Ponte, até pela crise em campo, com pouca torcida, organizadas chegando no intervalo e saindo antes do final do jogo.

Voltamos quarta, contra o Atlético-MG no Morumbi.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15

Botafogo 0 x 0 São Paulo, Maracanã, Campeonato Brasileiro, 01/09/2013

4° jogo invicto (*), dessa vez contra o então segundo colocado do Campeonato. 1 ponto fora de casa, que merece ser comemorado. Nossa defesa é a 6ª que menos tomou gols no Campeonato. E de um modo geral, o time de Autuori vem mostrando evolução, estabilidade e muito mais controle do jogo, coisa que cheguei a duvidar que fosse acontecer antes da viagem para Alemanha, Portugal e Japão. A saída do Ney Franco (que eu farei questão de “homenagear” quando vier ao Morumbi pelo Vitória) e do Adalberto Batista foram boas para o time. O envolvimento do grupo com a situação do time é perceptível. E da torcida também, que esteve em bom número no Maracanã (*2). Público total: 28.591. Quinta continua a maratona, contra o Criciúma. Vamos lá.

(*) 5 jogos invicto, com o fundamental Náutico 0 x 1 São Paulo de ontem. (*2) e em excelente número contra o Náutico: maior número de torcedores visitantes desde a inauguração da Arena Pernambuco, que, na minha opinião, matou o Náutico nesse Brasileiro. Lá o Náutico não está em casa como estava nos Aflitos.

Desde 10/10/2009 (Flamengo 2 x 1 São Paulo) que eu não assistia um jogo no Maracanã. É claro que esse Maracanã não é o velho Maracanã de 1950. Saudosismo não tem vez em visita a esse novo estádio. Dito isso, na comparação com o novo Mineirão e com o novo Mané Garrincha, o novo Maracanã leva vantagem, na minha opinião. Melhor acesso, melhor circulação nos corredores e entre as fileiras de cadeiras, sem “parapeitos” entre as fileiras de cadeiras, bandeiras liberadas… Esse sim é o saudosismo dos paulistas: mares de bandeiras tremulando nos estádios.

Primeira visão

Primeira visão


São Paulo em campo

São Paulo em campo


Chegada

Chegada


Chegada

Chegada


Maracanã tricolor

Maracanã tricolor


Independente no Maracanã

Independente no Maracanã


Tricolor

Tricolor


Independente no Maracanã

Independente no Maracanã


Independente no Maracanã

Independente no Maracanã


Tricolor!

Tricolor!


Independente e Dragões da Real no Maracanã

Independente e Dragões da Real no Maracanã


Dragões da Real no Maracanã

Dragões da Real no Maracanã


Dragões da Real no Maracanã

Dragões da Real no Maracanã


Divisão

Divisão


Divisão

Divisão


Stewards

Stewards


Maracanã

Maracanã


PM

PM


PM

PM


PM

PM


Torcida do Botafogo

Torcida do Botafogo


Torcida do Botafogo - bandeirões da Torcida Jovem e da Fúria Jovem

Torcida do Botafogo – bandeirões da Torcida Jovem e da Fúria Jovem

São Paulo 0 x 2 Santos, Morumbi, Campeonato Brasileiro, 07/07/2013

Atuação indigna do tricolor. Sim, esta contra o Santos, embora estas notas e registros estejam em circulação após atuação mais indigna ainda, contra o Bahia (virá na sequência o registro desse vexame).

Contra o Santos, fomos ao Morumbi na expectativa de ver a reação do grupo, a reação natural no futebol quando sai um treinador. Ainda mais em função do aparente e provável mal clima entre Ney Franco e o grupo. Mas o que se viu foi o mesmo time apático de jogos anteriores contra o Ney, que perdeu gols que não podia perder, errou passes que não podia errar e sucumbiu a um remendo de time, que é o Santos pós Neymar e pré contratações que dizem que virão.

Asa negra pairando sobre o São Paulo. Castigo pela cobiça de poder de Juvenal Juvêncio?

11.871 torcedores.

E estive na tragédia do “é quarta-feira…”.

Morumbi

Morumbi


São Paulo em campo

São Paulo em campo


Formação das equipes

Formação das equipes


Início de jogo

Início de jogo


Popular

Popular


Independente, Dragões, Falange e Os Implacáveis

Independente, Dragões, Falange e Os Implacáveis


Independente, Dragões, Falange e Os Implacáveis

Independente, Dragões, Falange e Os Implacáveis


Tricolor

Tricolor


Tricolores

Tricolores


Tricolores

Tricolores


Poucos torcedores no Morumbi

Poucos torcedores no Morumbi


Poucos santistas no Morumbi

Poucos santistas no Morumbi


Luzes

Luzes


Vazios

Vazios


Vazios

Vazios

São Paulo 1 x 0 Penapolense, Morumbi, Campeonato Paulista, 28/04/2013

Quartas de final do Campeonato Paulista, 32.995 torcedores para São Paulo 1 x 0 Penapolense. Penapolense com nosso volante Pintado como técnico e nossa eterna promessa, Sergio Mota, que entrou no segundo tempo e arrematou a bola que seria a do jogo, mas que Rogério defendeu aos 43 minutos do segundo tempo. Penalties contra a Penapolense teria sido nervoso demais…

Além de entrar com o uniforme vermelho (de longe até gostei do efeito, mas de perto, que não se repita), não tocou Hell’s Bells na entrada do time, mas Highway to Hell. Quinta tem Atlético-MG. Domingo tem Corinthians. Na outra quarta tem Atlético-MG. Vamos tomar umas Guinness… e vamos encarar.

São Paulo em campo

São Paulo em campo


São Paulo em campo

São Paulo em campo


São Paulo em campo

São Paulo em campo


Formação das equipes

Formação das equipes


Início de jogo

Início de jogo


Dragões da Real

Dragões da Real


Bandeirão Falange

Bandeirão Falange


Bandeírão Independente, Bandeirão Dragões

Bandeírão Independente, Bandeirão Dragões


Arquibancada tomada

Arquibancada tomada


Rogério Ceni

Rogério Ceni


Casal tricolor

Casal tricolor


Gol!

Gol!


Gol!

Gol!


Gol!

Gol!


Gol!

Gol!


Gol!

Gol!


Fim de jogo

Fim de jogo


Torcida da Penapolense - CAP - no Morumbi

Torcida da Penapolense – CAP – no Morumbi


Torcida da Penapolense - CAP - no Morumbi.

Torcida da Penapolense – CAP – no Morumbi.


Saída

Saída

Guarani 1 x 2 São Paulo, Brinco de Ouro, Campeonato Paulista, 09/02/2013

Jogo do São Paulo no Brinco de Ouro tem sido sinônimo de bom resultado. Não bastasse o título Brasileiro de 1986, em partida jogada quase 26 anos atrás, em fevereiro de 1987, o São Paulo não perde para o Guarani no Brinco de Ouro desde 1997. Das minhas 15 visitas ao Brinco de Ouro, foram 2 derrotas (a última em 1993), 1 empate e 12 vitórias, incluindo uma vitória por 1 a 0 contra o Palmeiras, pelo Rio-SP de 1998. Sina positiva nesse estádio.

Nossos reservas continuam invictos no Campeonato Paulista. E ver bem de perto mais um gol do Rogério Ceni (o terceiro que vi Rogério marcar no Brinco de Ouro) é sempre muito bom.

Mais um público pequeno em jogos pelo Campeonato Paulista. 4.736 torcedores.

A vitória, os chopps no Giovannetti, o gol do Rogério, e encontrar meu amigo Daniel, que mais uma vez me ajudou com os ingressos em Campinas, compensaram de longe o trânsito de carnaval na Bandeirantes para chegar até Campinas.

Quarta vamos para Belo Horizonte.

Preparação física, no Giovannetti

Preparação física, no Giovannetti


Brinco de Ouro

Brinco de Ouro


Chegada da Independente

Chegada da Independente


Independente

Independente


Chegada da Dragões

Chegada da Dragões


Dragões

Dragões


Dragões

Dragões


Tobogã antes do jogo

Tobogã antes do jogo


Torcida do bugre antes do jogo

Torcida do bugre antes do jogo


São Paulo em campo

São Paulo em campo


Formação das equipes

Formação das equipes


São Paulo

São Paulo


Independente em Campinas

Independente em Campinas


Tricolores em Campinas

Tricolores em Campinas


Os Implacáveis em Campinas

Os Implacáveis em Campinas


Dragões da Real em Campinas

Dragões da Real em Campinas


Tricolores em Campinas

Tricolores em Campinas


Tricolores em Campinas

Tricolores em Campinas


Dragões no jogo, Rogério ao fundo

Dragões no jogo, Rogério ao fundo


Tobogã do Brinco de Ouro

Tobogã do Brinco de Ouro


Guerreiros

Guerreiros


Fúria Independente

Fúria Independente


Bandeirão da Guerreiros

Bandeirão da Guerreiros


Saída da Fúria

Saída da Fúria


Saída da Dragões

Saída da Dragões


Saída da Independente

Saída da Independente


Fim de jogo

Fim de jogo