São Paulo 2 x 0 Avaí, Morumbi, Campeonato Brasileiro, 22/05/2017

O que mais precisava acontecer ontem aconteceu. Vitória, três pontos. Importante também não ter levado gol. Jogar bem, ganhar fácil, sufocar o adversário, na atual circunstância, tudo isso pode ficar para depois.

A liderança do Lugano é impressionante, mesmo que ele não seja mais o jogador que foi em sua primeira passagem pelo São Paulo.

Já o Rodrigo Caio parece que conta agora com crescente antipatia da torcida. Paga por ser correto e por isso menos alinhado ao padrão do futebol no Brasil. Uma pena, porque além de tudo é um grande jogador.

Ontem, pouca gente. 12.427. Chuva, frio, dia, horário, fase do time, qualquer coisa serve de desculpa. Pouquíssimos do Avaí também.

Sábado, 19h contra o Palmeiras, precisamos de bem mais gente para essa complicada partida.

1245789101112

São Paulo 1 x 1 Defensa y Justicia-ARG, Morumbi, Copa Sulamericana, 11/05/2017

Não foi de propósito que não publiquei antes as notas e fotos da eliminação na Copa Sulamericana. Foi por desânimo mesmo, confirmado pela derrota de domingo para o Cruzeiro na estréia do Campeonato Brasileiro.

Os 37 jogos que nos restam em 2017 serão todos de vida ou morte, numa luta com um só propósito: não sermos rebaixados. Parece ser essa a nova condição do nosso time.

Na quinta-feira o São Paulo foi todo horrível e o Defensa y Justicia foi todo heróico, dos jogadores ao técnico, passando pela hinchada, que foi brilhante e aguerrida também. Momento mágico para o Defensa, contrastando com nosso momento agônico.

Foram 14.999 torcedores, com linda presença da torcida do Defensa.

Voltamos na segunda-feira (22/05) de noite contra o Avaí. Anti-clímax ecoando desde já.

IMG_7738IMG_7736IMG_7735IMG_7737IMG_7729IMG_7728IMG_7730IMG_7731IMG_7734IMG_7733IMG_7727IMG_7725IMG_7724

Cruzeiro 1 x 2 São Paulo, Mineirão, Copa do Brasil, 19/04/2017

Vamos pelo time jogando, pelo momento, pela ligação nossa com o clube e do clube conosco. Não apenas pela vitória. Foi essa a tônica dos amigos e conhecidos que encontrei no Mineirão. Era a minha também. E o time correspondeu. Empenho, luta, esforço, aplicação, nada disso faltou. O Rogério montou o time para sair classificado e quase saímos com a vaga. Criamos chances antes de abrir o placar, depois de abrir o placar e já depois do 1 a 2. Faltou entrar pelo menos uma dessas. Ontem o jogo encaixou, o que não tinha acontecido domingo passado contra o Corinthians nem, pelo que me disseram, semana passada no jogo de ida contra o Cruzeiro. Morato foi a surpresa, a boa surpresa. Ganhar não é obrigação. Empenho e aplicação sim. Esses sobraram ontem e o time saiu sob aplausos, com reconhecimento. Não saímos cabisbaixos do Mineirão. Precisa manter a pegada para domingo, para a Sulamericana e para o Brasileiro.

Rogério Ceni x Mano Menezes parece que promete ser um dessas rivalidades que existem entre técnicos. Entrevistas com indiretas para cá e para lá e muito embate durante o jogo, tático e verbal/gestual.

36.193 torcedores, com estimados 500 são-paulinos no setor visitante. Todas as uniformizadas presentes (Independente, Dragões, Falange e Os Implacáveis), mais são-paulinos da região e muitos avulsos que saíram de São Paulo, como eu. Boa recepção dos Cruzeirenses, como sempre. Gozações pela eliminação, sim, mas evidente respeito mútuo.

Nada de Itaquerão domingo. Voltamos contra o Defensa y Justicia dia 11 de maio. Ou antes, numa eventual e não provável mas também não impossível final de Campeonato Paulista. Que assim seja.

1234567891011121314151617181920212223242526

São Paulo 0 x 2 Corinthians, Morumbi, Campeonato Paulista, 16/04/2017

Distante três horas de São Paulo, sem jornal, tv ou internet, só no sábado fiquei sabendo do 0 a 2 para o Cruzeiro. Da nossa maior posse de bola, maior número de cruzamentos, passes etc. E do gol contra do Pratto. Do gol do Hudson, que mal comemorou, de tão contido.

Domingo venci as três horas para assistir ao clássico contra o Corinthians. Desanimei rápido. Nosso jogo foi sem contundência, sem eficácia. Ao contrário do jogo do rival. Fomos para o intervalo já com ares de perdida, o que se confirmou.

Não faltou vontade nem empenho, no meu modo de ver. Faltou qualidade, contundência, eficácia, sistema de jogo consolidado.

Após o jogo, três horas para voltar para o mato, com o eco da derrota, amplificado pelo silêncio nos gols rivais, pelo absurdo da torcida única. Após eco, dois dias sem jornal, tv, internet nem palavra sobre o jogo.

Na minha opinião, Rodrigo Caio foi fera. Se o que ele fez servir para melhorar 10 por cento das simulações e da falta de caráter que se acontecem de monte no futebol brasileiro já terá sido ótimo. Se não mudar nada, terá sido igualmente ótimo.

45.366 torcedores, todos tricolores. Não vi sinal nenhum de infiltrados.

E amanhã estarei no Mineirão. É futebol, né…

12345678910111214

São Paulo 5 x 0 Linense, Morumbi, Campeonato Paulista, 08/04/2017

Foi um jogo gostoso de assistir. Jogo que cravou várias marcas positivas 8 jogos seguidos sem derrota, 4 jogos seguidos sem levar gol, resultado ofensivo significativo depois de vários jogos, Renan bem no gol, Buffarini muito bem no jogo e decisivo para impedir que o Linense abrisse o placar, Lucão mostrando mais segurança a cada jogo, Thiago Mendes e Jucilei numa bela dupla, nosso reserva Gilberto artilheiro do campeonato até agora.

Esse jogo marcou também o fim dos compromissos menos complicados nesse ano de 2017. A começar dessa quinta-feira, contra o Cruzeiro, fim de semana com clássico contra Palmeiras ou Corinthians, meio de semana seguinte contra o Cruzeiro, fim de semana seguinte o replay pela semifinal do Campeonato Paulista, e segue emendado com as finais do Paulista (esperamos), Brasileiro, Copa do Brasil e Sulamericana. Ouvindo as coletivas do Rogério Ceni há a certeza de que ele sabe disso também.

27.230 torcedores, com algumas dezenas de torcedores do Linense.

Quinta-feira estarei AUSENTE em função de viagem. E no fim de semana talvez aconteça o mesmo. Manderei minha torcida de longe. Bons jogos para nós!

12345678910111213141516

Linense 0 x 2 São Paulo, Morumbi, Campeonato Paulista, 02/04/2017

Esse jogo de “visitante” no Morumbi foi conveniente para o São Paulo, poupou a viagem para o interior (Rio Preto? Araraquara?) – a do time e a minha, facilitou a recuperação para o jogo da Copa Sulamericana na 4ª feira e proporcionou ser visitante em casa. Mas foi uma situação esdrúxula que simplesmente não deveria acontecer. Fosse porque o Linense jamais cogitasse proporcioná-la, fosse porque o regulamentação a vetasse.

A vitória foi fácil e tranquila. Faltou foi fazer mais gols.

4ª feira o jogo é contra o Defensa y Justicia, 19h15. Mas volto apenas sábado que vem, 16h00, contra o Linense no Morumbi, de “local”.

15.840. Muito pouco para um domingo de sol no Morumbi com o São Paulo jogando. Mesmo que de “visitante”. Os “locais”, do Linense, foram cerca de 300.

123456789

São Bernardo 0 x 1 São Paulo, 1o de Maio, Campeonato Paulista, 29/03/2017

Foi difícil até de prestar atenção no jogo que selou o fim das sequências de jogos sem vitória (5) e de jogos levando gols (incontáveis). Para essas marcas colaborou nossa trave duas vezes.

Lamento o rebaixamento do São Bernardo, do zagueiro João Francisco, são-paulino, que jogara contra nós na derrota são-paulina por 3 a 1 no Pacaembu ano passado quando trocou camisa com o Lugano após o jogo. Quarta-feira passada o João Francisco saiu contundido no começo do jogo. Já o rebaixamento do Osasco Audax, não lamento não.

6.716 torcedores, com cerca de 4.000 são-paulinos. Forte apoio da torcida do São Bernardo durante o jogo. Depois do jogo, desânimo.

Domingo é no Morumbi, “visitante” contra o Linense, 16h00.

12345671011121314151617181920